Sinusite/Polipose Nasal

A sinusite é o processo inflamatório da mucosa de revestimento dos seios da face (seios paranasais). O termo mais adequado e utilizado atualmente é rinossinusite, visto que dificilmente existe inflamação dos seios paranasais sem acometimento da mucosa nasal. Os sintomas mais comuns são obstrução nasal, rinorréia espessa (secreção nasal), dor ou pressão na face, diminuição do olfato e tosse. Pode ser decorrente de quadros infecciosos (bactérias, vírus ou fungos) ou de mecanismos alérgicos, físicos e químicos.

A sinusite pode ser classificada em aguda ou crônica. A sinusite aguda é aquela em que os sintomas tem início súbito e completa remissão em 12 semanas. Já na sinusite crônica os sintomas se estendem por mais de 12 semanas.

O desenvolvimento das rinossinusites envolve a interação entre mecanismos de defesa do indivíduo e o agente agressor. Quando há obstrução dos óstios de drenagem dos seios paranasais ocorre estagnação das secreções dentro dos seios favorecendo o crescimento de bactérias. Isso pode ocorrer por edema da mucosa nasal (resfriado, rinite), desvio de septo, corpo estranho, pólipo nasal, trauma, entre outros. Sabe-se que a maioria das rinossinusites bacterianas são precedidas por um episódio de infecção viral das vias aéreas superiores (IVAS).

A Polipose Nasal é uma doença inflamatória crônica da mucosa dos seios paranasais com formação de pólipos benignos. A presença dos pólipos leva a obstrução dos óstios de drenagem dos seios da face causando um quadro de sinusite crônica. A polipose nasal é considerada um subgrupo da rinossinusite crônica.

Para o adequado diagnóstico e tratamento é necessário uma avaliação otorrinolaringológica, onde, além do histórico e do exame físico, poderão ser necessários exames como a nasofibrolaringoscopia e a tomografia computadorizada a fim de avaliar a presença de alterações anatômicas que possam predispor ao quadro.

O tratamento das rinossinusites pode ser clínico (medidas farmacológicas) ou cirúrgico, a depender da sua causa. A cirurgia consiste na abertura dos óstios de drenagem dos seios e é realizada através do uso de endoscópios e câmeras no nariz.